PARÓQUIAS DA DIOCESE

REGIÃO PASTORAL CENTRO

Paróquia Catedral Nossa Senhora das Dores (1848)
Pároco: Mons. Olivaldo Pereira Silva
Vigário Paroquial: Pe. Francisco Xavier Ribeiro

Paróquia Nossa Senhora do Rosário (1942)
Pároco: Pe. Sivonaldo Pedro de Oliveira

Paróquia São Francisco de Assis (1952)
Administrador Paroquial: Pe. Luiz Antonio da Silva Filho

Paróquia do Coração Eucarístico (1957)
Administrador Paroquial: Frei Evandro Fernandes Fontes
Colaborador: Diác. Pedro Tiago de Moura

Paróquia Nossa Senhora do Monte Carmelo (1963)
Administrador Paroquial: Pe. Kennedy Amorim de Melo
Vigário Paroquial: Pe. Edmilson Martiliano de Lima
Vigário Paroquial: Mons. Guilherme Gomes da Silva
Colaborador: Diácono Manoel Sebastião Pereira

Paróquia de São José (1965)
Administrador Paroquial: Pe. Zenilson Tibúrcio da Silva
Colaborador: Diácono José Durán e Durán

Paróquia Nossa Senhora de Fátima (1990)
Administrador Paroquial: Pe. Janailton Alves dos Santos

Paróquia Nossa Senhora Aparecida (2005)
Pároco: Pe. Manoel Francisco Xavier (Pe. Bianchi)
Colaborador: Diácono Severino Antônio da Silva

Paróquia da Natividade do Senhor (2006)
Pároco: Pe. Luís Carlos do Nascimento Silva

Paróquia de São Bento
Administrador Paroquial: Pe. José Silvano Onofre de Amorim

REGIÃO PASTORAL NORTE

Paróquia de Santo Amaro (1801)
Taquaritinga do Norte
Administrador Paroquial: Pe. Elias Joaquim de Lemos

Paróquia Senhora Bom Jesus dos Aflitos e São Miguel (1918)
Santa Cruz do Capibaribe
Pároco: Mons. José Heleno dos Santos
Vigário Paroquial: Pe. Adriano Manuel da Silva
Vigário Paroquial: Pe. Carlos Augusto do Nascimento

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (1941)
Riacho das Almas
Administrador Paroquial: Pe. Luiz Amaro da Silva

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (1964)
Toritama
Administrador Paroquial: Mons. José Roque do Nascimento
Vigário Paroquial: Pe. Erandi Expedito Torres

REGIÃO PASTORAL OESTE

Paróquia Nossa Senhora do Ó (1837)
Altinho
Pároco: Pe. Heleno José Vieira

Paróquia de São Caetano (1844)
Sao Caetano
Pároco: Pe. Wilson Rufino da Silva
Vigário Paroquial: Pe. Diozene Francisco dos Santos
Colaborador: Diác. Heleno Manoel de Macedo

Paróquia de Santo Antônio (1912)
Agrestina
Pároco: Pe. João Luís do Nascimento

Paróquia Santo Antônio (1944)
Cachoeirinha
Administrador Paroquial: Pe. Antônio Quirino da Silva

Paróquia Santo Antônio
Tacaimbó
Administrador Paroquial: Pe. José Osvaldo Cunha

Paróquia de Santo Izidro (1989)
Ibirajuba
Administrador Paroquial: Pe. Gilvan Ananias da Silva

REGIÃO PASTORAL SUL

Paróquia São José (1805)
Bezerros
Pároco: Mons. Geraldo Spósito de Lima
Vigário Paroquial: Pe. Belmiro Humberto dos Santos
Colaborador: Diác. Manoel Paulino da Silva

Paróquia Nossa Senhora da Conceição (1848)
Pároco: Mons. Miguel José da Silva
Colaboradores: Carmelitas de Camocim de São Felix, Pe. Pedro Antônio Filho, Diác. Ermeraldo Xavier da Silva

Paróquia Sant'Ana (1857)
Pároco: Pe. Joselito Gomes da Silva
Vigários Paroquiais e Administradores das Áreas Pastorais: Pe. Paulo Fernando Costa, Pe. Mário Alves de Torres e Pe. José Barbosa da Silva Filho (Obra de Maria e Canção Nova)
Colaborador: Diác. Gilvan Ferreira da Costa Filho

Paróquia São José (1925)
Chã Grande
Administrador Paroquial: Pe. José Alexandre Gomes Ramos Pontes

Paróquia São Joaquim (1929)
São Joaquim do Monte
Pároco: Pe. Pedro Antônio Filho

Paróquia São Félix Cantalice (1940)
Administrador Paroquial: Frei Aloisio Saturnino da Silva

Paróquia de São Miguel Arcanjo (1946)
Sairé
Administrador Paroquial: Pe. João Bosco Costa
Colaborador: Diác. Ermeraldo Xavier da Silva

Paróquia São João Batista (1980)
Barra de Guabiraba
Pároco: Pe. Almir Palheta

Paróquia São Sebastião (1992)
Bezerros
Administrador Paroquial: Pe. Luciano Monteiro
Colaborador: Diác. Manoel Paulino da Silva



10 comentários:

iDizimo.com disse...

Nós do iDizimo.com estamos na missão de auxiliar e fortalecer a pastoral do dízimo.

Com recursos de última geração, o sistema foi desenvolvido para atender as necessidades da igreja católica no controle do dízimo.

O iDizimo.com é um sistema seguro e fácil de ser utilizado. Por ser on-line, permite o seu gerenciamento de qualquer computador conectado à internet.

Seus relatórios e gráficos estatísticos trazem subsídios e informações que possíbilitam que os sacerdotes tenham uma visão mais ampla dos seus dizimistas.

Para evitar um novo recadastramento, nossa equipe de analistas fazem a transferência dos dados de qualquer sistema para o iDizimo.com.

Saiba mais sobre o iDizimo.com, acesse: www.idizimo.com

Att. Márcio

cleyton disse...

O dizimo é algo instituido pelo Senhor, mas é preciso sabedoria para saber partilhar. Nossa igreja precisa de uma capacitaçõ " Como partilhar o Dizimo com justiça?", o que vemos é exclusão da comunidade ao centro pastoral, a chacara entre outros. O valor cobrado é alto diante as condições da mesma. Se a comunidade construiu ela tem condições de manter. Igreja que tanto amo aprenda na pratica o que é partliha.

cleyton disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Senhor Bispo
Sugiro que na relação de Paróquias conste mais informações tais como:
Telefone, email, e endereço, pois facilitaria a comunicação.
Pois estou querendo solicitar o batistério do meu filho que vai casar, a paróquia é C~hã Grande, não sei se eu posso solicitar ou tem que ser ele.
Atenciosamente
Maria do Carmo Rodrigues de Souza
Vitória de Santo Antão-PE
ducarmo_rodrigues@hotmail.com

***Meg*** disse...

Bom dia, Gostaria de ter uma pequena duvida esclarecida, me chamo Morgana e uma semana ou duas minha tia precisou requisitar o batistério da minha prima que se casa em outubro, quando recebeu o documento apos o pagamento de uma taxa de 25 reais, observou que o nome da mãe e da madrinha estavam errados no documento. Então ela retornou a igreja para pedir que lhe fosse feito outro documento da maneira correta, a funcionaria da paróquia de São Francisco, lhe disse que não poderia lhe fornecer outro documento pois no livro constava aqueles nomes como mãe e madrinha, só que minha tia tinha em mãos o documento que é dado aos pais no dia do batismo onde todas as informação estavam escritas de forma correta, evidenciando assim que o erro claro foi do funcionário que passou tais informações para o livro, então diante da recusa da atua funcionária minha tia fez o que qualquer um de nois faríamos resolveu que falaria com pároco ( Luiz Antonio), foi ai que se sucedeu o dialogo mais absurdo q já vi na vida, minha tia esplicou a situação e o mesmo disse que não poderia fazer nada por ela e ainda disse q o nome da madrinha errado não tinha a minima importância ,o pior foi o que vei em seguida ele ainda disse que mesmo q minha tia falasse com o bispo a resposta seria a mesma o documento continuaria errado, e se falasse com o papa também, o documento continuaria errado, foi a ai que minha tia disse que o jeito então erra falar com Deus, foi ai que o padre disse a frase mais absurda que já se ouviu de um padre na vida, disse ela que minha tia não poderia falar com Deus porque só se fala com Deus depois que se morre. Então ai vai minha duvida, a parti de agora quando eu for a uma missa e o padre mandar fechar meus olhos e em oração falar com Deus eu devo ficar na igreja porque posso falar com Deus mesmo estando viva, ou acredito no que disse o Padre da igreja são francisco e por isso me retiro da igreja antes que seja morta para poder falar com Deus? e outra se o nome da madrinha pode estar errado em um documento oficial da igreja, porque tanta burocracia na hora de batizar uma criança, a madrinha tem que fazer curso e no único documento onde seu nome seria mencionado como madrinha não tem importância?

JCS disse...

Saudações:
É....fraquezas humanas na Igreja de Jesus sempre existirão e as vezes
são determinados padres que nos entristecem ,quando dizem coisas que não deveriam dizer, pois, eles tem que ser referencia para os fiéis.Faz algum tempo que um certo padre da diocese me disse algo que me deixou muito apreencivo.Eu quis partilhar com êle o fato do governo Federal gastar tanto dinheiro com distribuição de camisinhas e ele não teve o menor
receio de dizer que era melhor do que
não fazer nada.Uma mentalidade partidária que padre nenhum deveria
ter,pois,a Igreja diz claramente que isso é missão dos leigos.Que um
leigo tenha certas idéias, não é certo mas ainda se dá o desconto por ser leigo,mas para um padre isso é inconcebível.Um outro que também não direi quem é,questionado
sobre o aborto,disse num programa de rádio que o Presidente não tem
obrigação de ser membro da religião
é lamentável,mas é verdade.

rodrigo sobrinho disse...

Sim e o caso da MEG, ficou assim mesmo?

negócio de doido, ou igreja de doido ou negócio mesmo neh?

é isso que tá se tornando, apenas um negócio pessimamente gerido.

Sophia Monjardin disse...

boa tarde meu nome e graziele santana e eu moro no parana sou casada com alexandre patrique palharim yoshida e tenhos 2 filhas fiquei sabendo que meu marido tem uma amante ai em caruaru o nome dela e angela tatiana bezerra brito e eles acabaran tento uma filha que se chama amanda patricia palharim e ela foi batizada como se meu marido fosse esposa da angela quando eu vi uma foto do casal com o padre eu fiquei abismada nao sei com pode batizar uma criança que o pai e amante da sua mae gostaria que esse batizado fosse anulado a familia do alexandre mora aqui no parana eles enganaran o padre da paroquia como se fossem marido e mulher sendo que a mulher dele sou eu fiquei muito indiginada fomos casado a 13 anos meu telefone e 44-98730206 nao sei a paroquia que foi realizado o batismo sei que foi no ano passado e a angela a amante mora no bairro panorama

Sophia Monjardin disse...

vomos casado a 13 anos eu e alexandre patrique palharim por favor me mande uma resposta sobre

GG disse...

Gostaria de pedir aos adms do site que atualizassem as paróquias.
Pois além de faltar novas paróquias, os seus respectivos administradores paroquiais estão desatualizados.